Ir para a Página Principal  
  Artigos   Palavra da Parteira
sobre Parto e Nascimento
 
  Serviços para Profissionais   Para profissionais (cursos, oficinas, consultoria)
  Serviços para Gestantes   Para Gestantes (cursos, yoga, atendimento)
  Produtos   Produtos
vídeos, livros,
e outros
  Eventos   Histórias de Parto
relatos de mulheres especiais
  Outros   Links
Cadastre-se
 
 

Relatos de Parto
Nome: César Betioli

 

O Nascimento de André

A partir do momento em que soube da gravidez, senti que algo iria mudar em minha vida. Muita festa, muitos conselhos e muitas recomendações angustiantes de como seria minha vida dali pra frente.

Com o passar do tempo, fui vendo que nada em minha vida havia mudado, apenas uma responsabilidade de cuidar de uma mulher "encantadoramente" grávida.

A gravidez dessa mulher foi incrível. Percebi como é realizar um sonho, e que esse sonho vai se realizando aos poucos, com uma surpresa a cada dia.

Nas primeiras semanas a alegria de ser pai, mas não o sentimento de ser pai. Nas semanas seguintes, a emoção incontrolável de ver seu filho pela primeira vez, ampliado é verdade, mas são alguns centímetros na forma de uma criança de verdade, e essa criança é meu filho.

A emoção e espanto de ver uma barriga crescer, crescer e crescer. A angústia de esperar um momento tão mágico que você não tem idéia do que vai acontecer, ainda mais que sou pai de primeira viagem. Ainda mais quando sua esposa chega pra você e diz que quer ter filho em casa. Minutos de desespero, mas horas de apoio e satisfação com as informações desse tipo de parto.

De repente, uma ruptura de bolsa, um gelo na barriga (do pai) e uma criança está por vir.

O nosso parto foi domiciliar. Isso aumenta ainda mais a nossa apreensão e expectativa de como será o evento mais importante da vida de duas pessoas, que casaram e hoje vivem juntos, como se fosse uma brincadeira, mas com muitas responsabilidades.

A Mariana se comportou como uma deusa. Extremamente tranqüila e serena. Deitada sobre a cama, ali ficou durante quase 6 horas sentindo contrações a cada, intermináveis, 3 minutos.

Sentia em minhas mãos tamanha dor, mas sentia dentro de mim, tamanha satisfação em finalmente, sentir aquela dor. É fácil falar, pois a dor não era em mim, e sim nela. Sabe o que acontecia depois da dor? Um lindo sorriso de uma pessoa que iria receber em alguns instantes o maior desejo de toda a sua vida. Isso mesmo. Ela foi tão forte que ao final das contrações saia um lindo sorriso. Parecia que a dor de um parto é como uma dor de dente. Mas sei que é um pouco pior.

O objetivo dessa mulher era tão claro, que a dor passava como uma tempestade no caminho de um viajante em busca do paraíso.

De repente, aquela vontade incontrolável de expulsar algo, que independente de qualquer intervenção, seja de quem for, quer sair dali. Quem poderá dizer isso melhor é a própria Mariana. (Vejam o depoimento dela).

Foram os últimos minutos do acontecimento mais emocionante da minha vida. Passei mal, é verdade, mas foi susto, medo, alegria, um monte de sensações juntas, que acho que no final foi bom. Aliás, TENHO CERTEZA DE QUE FOI MUITO BOM...

Todos aqueles minutos que se passaram foram me transformando de tal maneira, que hoje percebo que eu também me transformei. EU SOU PAI. EU TIVE UM FILHO.

A partir desse momento, todos os meus objetivos se voltaram para uma criancinha que daqui a pouco me chamará de pai.E sabe o que estou perdendo? Sabe o que estou deixando de fazer? Nada. Absolutamente nada, pois sei que o amor que recebi de meus pais será o mesmo que darei ao meu filho, pois isso vale a pena. Isso vale a vida. Isso é amor verdadeiro. Isso é amizade. Isso é riqueza. Um filho é RIQUEZA...Mesmo que depois ele me ligue só no Natal, como dizia a propaganda, mas sempre existirá um filho que me ama muito.

Agradeço ao homem mais incrível que conheci. Ao homem que está devolvendo às pessoas o direito de realmente ter um filho. Isso não é loucura. Isso não é alternativo. Isso não é diferente. ISSO É NATURAL. FOI ASSIM QUE DEUS NOS FEZ. É ASSIM QUE ELE QUER QUE NÓS PERPETUEMOS A ESPÉCIE. É ASSIM QUE TEM QUE SER.
Obrigado Dr. JK.

Agradeço à Dra. M. a à Dr. Andrea Campos, que também merecem todos os nossos cumprimentos por fazer parte dessa tão importante equipe.

E à Ana Cris, que com essa sua "militância", está permitindo que mulheres realizem seus sonhos da maneira que DEUS fez. Exatamente como Ele fez.

Obrigado a todos que nos apoiaram. A todos que ficaram aqui conosco, com o pensamento positivo. A todos da nossa família.

Deixo um apelo às mulheres. Acredito que cada um segue a linha que quiser. Mas peço, principalmente àquelas que estão em dúvidas, tenham filhos de forma natural. Não deixem que um sistema movido pelo dinheiro e pelo stresse das agendas lotadas tirem de vocês o direito de ter um filho exatamente como vocês querem. Deixem seus filhos virem ao mundo de forma natural, virgens dos nossos problemas. Isso faz bem pra ele e pros pais dele. Prefiro ficar com uma imagem do hospital, de um lugar que perdi uma pessoa querida, e da minha casa como um lugar em que a vida de uma criança está se iniciando.

Aos pais, dêem apoio às suas mulheres. Sigam em frente se ela quiser. Não tenham medo. Tenham medo de médicos que querem operá-las......Isso mesmo OPERÁ-LAS. Cesárea é uma cirurgia de caráter emergencial. Pensem nisso.

Mulheres...Acreditem que vocês podem.....Se todo o Pré-Natal foi perfeito, Acreditem que vocês podem.

Como diz Nuno Cobra, o cérebro é burro. O que você manda, ele faz.....Faça o seu corpo aceitar a idéia.

Faça VOCÊ aceitar a idéia e você jamais se arrependerá.

Nunca pensei que fosse capaz disso, mas sei que um bebê pára de chorar quando ele realmente está seguro. E essa pessoa é a mãe dele. Quando ele passar pelo canal de parto, imaginem a sensação dele. Coloquem-se no ligar dele. É o maior trauma da vida de um ser humano. Aí quando ele sai, vem uma pessoa e o leva embora chorando, desesperado, procurando aquela pessoa que o carregou durante nove meses. Aí, quando ele chega seis horas depois, no colo da mãe, ele pára de chorar. Não seria óbvio. Depois de nove meses num lugar quentinho, ele sai, é apertado, toma injeção, fica sozinho e quando chega em seu "porto seguro", pára de chorar...Poxa vida....Que coisa espantosa.

Meu filho tomou banho de sol NATURAL com 24 horas de vida, durante dez minutos durante três dias. E ele não teve a tal "icterícia". Não sei como escreve.

Ter filho em casa é natural. Ter filho em casa é seguro. Ter filho em casa é inesquecível.

E será que sou uma pessoa estranha? Alternativa? Louca? Apaixonada? Diferente?

Hoje eu sou diferente sim....Sou diferente, pois tenho uma mulher diferente vivendo ao meu lado.

Abraços e pensem que a vida é única.

Não deixem de ler o depoimento maravilhoso do Fernando - pai da Lis.

César A. C. Betioli - "o pai mais feliz do mundo".

Veja o relato da mãe Mariana
Voltar para Lista de Relatos

 
Copyrights: GAMA - Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução das imagens ou do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita.
Quem Somos
Onde Estamos
Mapa do Site
Fale Conosco
GAMA - Grupo de Apoio à Maternidade Ativa - Rua Natingui, 380 - Vila Madalena - 05443-000 - São Paulo, SP
Telefones: clique aqui - E-mail: CLIQUE AQUI