Ir para a Página Principal  
  Artigos   Palavra da Parteira
sobre Parto e Nascimento
 
  Serviços para Profissionais   Para profissionais (cursos, oficinas, consultoria)
  Serviços para Gestantes   Para Gestantes (cursos, yoga, atendimento)
  Produtos   Produtos
vídeos, livros,
e outros
  Eventos   Histórias de Parto
relatos de mulheres especiais
  Outros   Links
Cadastre-se
 
 

Relatos de Parto
Nome: Éllade França

 

Relato do Parto do Guilherme
por Ellade

Como é difícil descrever... mas se eu pudesse fazer em uma palavra seria: INTENSO!!!

Gravidez normal e tranqüila. Trabalhei muito, não tive tempo de curtir como gostaria. Nem é muito possível, com uma mocinha de quase 3 anos querendo o dobro da atenção. Tudo certinho. Parto domiciliar de novo (lógico!), só que agora em Santos. Teríamos que "importar" a equipe. E contatamos a enfermeira obstetra C, aqui de Santos, que trabalhou durante anos na Casa de Parto anexa ao hospital Sofia Feldman, em BH, para dar suporte à equipe de Sampa.

Para dizer a verdade, nada foi planejado direito para esse nascimento. As coisas foram acontecendo no seu tempo... ou na falta dele. A DPP era 16/05, mas eu achava que ele nasceria no dia 12, por causa da mudança da lua e porque a irmã nasceu de 39 semanas, mas como não tenho vocação, ou intuição, para essas coisas, então desencanei... deve nascer na próxima lua então. Ledo engano.

15/05/2008
14h - Deixei a Gabi na escola, ela não queria me deixar ir (coisa estranha 1). Logo que sai de lá, comecei a sentir umas contrações muito fortes, mas sem dor alguma, parecia Braxton Hicks bem fortes, como uma pressão e a barriga toda ficava dura (coisa estranha 2). Dei uma passada no trabalho para resolver algumas coisas bem rápidas, depois cismei que queria uma banheira (piscina) em casa (coisa estranha 3). Combinei com a minha irmã de fazer compras (aquelas ultimas coisinhas que a gente sempre acha que está faltando).

16h - Liguei para a AC, ela estava num parto no São Luiz, perguntei se podia pegar com ela a piscina que vende no Gama e se era normal aquelas BH tão fortes, ela me disse que se ficasse ritmada era trabalho de parto. Ok. Pensei: quando chegar em casa eu começo a cronometrar. Liguei pro marido:
Eu - Amor, vai buscar uma piscina no Butantã pra mim ?
Alexandre - Mas amor, tem certeza ? E essas contrações ?
Eu - Vai buscar... não to sentindo nada, nem dor, nem cólicas... vai buscar por favor !!! (obs.: Mulher grávida e em trabalho de parto, mesmo não sabendo disso, é pra ser obedecida...)

Fui com a minha irmã numa loja comprar sutiã de amamentação... na loja comecei a me sentir irritada... ops... Éllade... vai para casa agora, pensei. Pedi para a minha irmã buscar a Gabi na escola e levar para a casa dela, porque precisava ficar em casa sozinha para tomar um banho e relaxar para ver se essas contrações engrenavam ou paravam. Na verdade, eu queria muito que a Gabi tivesse participado, mas do jeito que foi, não teria sido legal... acho que minha intuição funcionou desta vez.

18h - Cheguei em casa, comecei a arrumar coisas que nem uma louca (coisa muito estranha 4). Então comecei a sentir cólicas... ops... Éllade... vai para o banho agora, pensei. Fui tomar um banho bem quente e deitei para cronometrar. Liguei para o Alexandre para contar que tinha começado as contrações doloridas. Ele estava saindo do Butantã (a piscina, eba !). Dinâmica de 40 minutos, contrações de 5 ou 6 minutos... Aí caramba... tô em trabalho de parto mesmo! As contrações estavam bem tranqüilas, na intensidade da dor, mas é melhor já avisar a equipe.

19:h30 - Liguei pra C. Ela estava dando aula na faculdade e me disse que iria assim que acabasse a aula, lá pelas 2230. Liguei para o Dr. JK, ele estava saindo do parto no São Luiz e pediu para que quando a C me examinasse que eu ligasse de novo. Ok, então. Liguei também para minha massoterapeuta e amiga querida para me mandar Reiki, ela ficou preocupada por eu estar sozinha em casa. Continuei arrumando a casa... mas as contrações começaram a apertar. Ui ! Caraca... tá um pouco forte para o meu gosto... comecei a acocorar nas contrações e repetia: Gui... espera o papai chegar...pleaseeeeee !!!

20h - Ai ! Ta doeeendo ! Liguei pra C... está apertando... está de 5 em 5 minutos, mas ta doeeendo. Não demora tá? Ahhhh cadê o Alexandreeeeeee !!! Assim que acabei de responder um e-mail, às 20h22 pra Dra. CC, que viria junto com o Dr.JK, comecei a sentir contrações muito fortes.

20h30 - Chega o papai. Eu estava na cama, gemendo! Acho que a sensação de dor deu uma diminuída com a presença dele, mas começaram a ficar mais próximas.
Eu - Liga para o Dr. JK, por favor, vê se eu posso tomar alguma coisa...tá doendo ! Não deu mais para contar... mas acho que está a cada 2 minutos... ahhhhh !!!!
Alexandre - Cadê a C?
Eu - Tá chegando. Trouxe a piscina? (hahahaha, puro devaneio de TP)
Alexandre - O que você quer que eu faça? Ligue para o Dr. JK? Encha a piscina? Ligue para C? O que?
Eu - Tudo isso! (Coitadinho... homem não foi feito pra fazer muitas coisas ao mesmo tempo...)
Alexandre - Amor, acho melhor você ir para chuveiro de novo.
Eu - Não consigo ficar de pé... arruma um banco?
Alexandre - Vou pegar o do quarto.
Eu - Esse não! Vai molhar! Vai pegar um plástico pra cobrir! E liga na portaria para dizer que não precisa interfonar ninguém, para quem chegar entrar direto. (caraca... porque você não vai para a "partolândia", Éllade? Para de pensar!) E vai Alexandre ligar para o Dr. J.K.
Alexandre - Dr. J.K? Ela está no chuveiro, quer tomar alguma coisa...disse que tá doendo demais e que as contrações estão emendando uma na outra. O que posso dar a ela?
Dr. JK - O que? A Éllade tá pedindo para tomar alguma coisa? Ops! Já estamos descendo, eu e a Dra. CC.

E vai Alexandre arrumar o remédio. Mas cadê o telefone de alguma farmácia que entregue?
Eu - Liga para C e diz para ela trazeeeeeeeer!!!! E vem aqui, que ta doendo... me faz massageeeeeem!!! Cadê você?
- Você não quer que eu encha a piscina ?
- Não vai dar tempo. Ahhhhhh !!!

Fiquei de joelhos e debruçada no banco, gemendo e apertando a cabeça contra a parede (fiquei com um roxo na testa). As contrações emendavam uma na outra... não dava tempo de respirar ! Não conseguia lidar com aquilo, não tinha me preparado para esse tsumani, não conseguia relaxar. O Alexandre me fazia massagem e começou a me fazer um monte de perguntas (nem lembro o que), ele estava preocupado com a minha situação. Mas que raiva... não dava para responder...
Eu - Para de me fazer perguntas (já falando palavrões)
Alexandre - Tá bom... vou esquentar água pra bolsa térmica...
Eu - Cadê você ???? Não quero bolsa nenhuma.
Alexandre - Mas a AC usou bastante no parto da Gabi.
Eu - Tá bom então. (contrariada)

Então comecei a sentir vontade de empurrar... Não acredito! Será que são puxos??? Bom, só sei que fiz um monte de cocô no chuveiro, não dava pra ir no vaso! O Alexandre achou que era por causa da dor, mas aí viu a minha coluna ficar reta (expulsivo!!!) e pensou: Não vai dar tempo de ninguém chegar !!! Então, eu não conseguia mais responder, o Alexandre falava comigo e eu só repetia (pendurada no registro do chuveiro)... vai passar... vai passar... vai passar... Esse era meu mantra.

21:h30 - Chega C. Eu estava no chuveiro.
C - Que beleza ! Você está ótima ! (ótima o ...., pensei) Vou te examinar tá? Você consegue ficar de cócoras?
Eu - Sim.
C - Que ótimo! 9 cm! Batimentos ótimos! O tampão saiu na minha mão. Já vai nascer. Você quer que nasça aqui?
Eu - Não! Aqui tá sujo!

Então, eu comecei a conseguir relaxar, a C ia me lembrando como fazer, e consegui lidar melhor com aquelas ondas enormes. Eles me deram o remédio, mas sinceramente, nem deu tempo de fazer algum efeito. Então ligaram para o Dr. J.K,. ele estava descendo a serra. O Alexandre teve a idéia de deixar o telefone no viva-voz:
C - Dr. JK, já tá com 9 cm.
Dr. JK - (com a mão no fone, achando que ninguém tava ouvindo) CC, já foi, perdemos o parto, kkkk,. - Que ótimo ! Como ela está?
C - Ela está bem, o bebê também, ótimos batimentos cardíacos do bebê.
Dr. JK: - Que bom! E você Alexandre, está bem? E a C?
Alexandre - Estou bem. A C, não sei! (rsrsrs)
Jorge - Fiquem tranqüilos, estamos a caminho.

Então, vieram os puxos mesmo! Vontade incontrolável de empurrar. Senti encaixando e descendo.
Eu - Quero ir para o quarto!
E a C me ajudou a sair do chuveiro. Eu quase não conseguia andar. Subi na cama, fiquei de joelhos, apoiada em travesseiros e na parede. Então o Alexandre e a C começaram a pegar as coisas: fraldinhas esterilizadas, ferro para esquentar. A C foi até a cozinha pegar a ocitocina na geladeira (que deveria ser aplicada, como profilaxia, depois do parto, por causa da hemorragia que eu tive no parto da Gabi).
Eu - Amor, cadê a C?
Alexandre - Foi buscar a ocitocina.
Eu - Mas não é pra agora, ela sabe disso, não sabe? C ! VocÊ não vai me dar isso agora, né?
C - Claro que não! Estou até deixando aqui na sala, tá! Só preciso deixar preparada.
Então senti mais um puxo e empurrei... coloquei a mão e senti a cabecinha dele.
Eu - Vai nascer!!!!!!!
A C acabava de voltar para o quarto, tentou colocar a luva, mas não deu tempo... Mas um puxo e saiu a cabecinha dele, estourou a bolsa, a Claudia tirou duas circulares e tentou ajeitar a saída dos ombros. Eu achei que ela estivesse puxando ele, pedi para ela parar, que eu empurraria mais uma vez...

E nasceu Guilherme! As 22:38hs, pelas quatro mãos... da parteira e do pai !!!

Eu sentei na cama e peguei me filhote, que chorou forte, mas parou, assim que chegou ao meu colo. Lindo!!! Ficamos nos namorando. O cordão parou de pulsar.
C - Como vamos amarrar e cortar?
Alexandre - Temos tesoura e fio-dental.
E o pai cortou o cordão. A placenta saiu depois de uns 20 minutos, inteira. Dr. JK e Dra. CC chegaram uma hora depois, porque o GPS do Dr. JK travou e eles foram parar em outra cidade... Tudo certinho comigo e com o Gui. Nenhuma laceração de períneo, mesmo com o parto rápido. Ligamos para minha mãe trazer a Gabi.
Gabriela - Mamãe! O Gui já nasceu? Quero ver ele! Eu já to indo pra ai, tá! (que fofa)
C deu um banho rápido no Gui e eu já levantei pra tomar o meu. Quando sai do banho, já estava a família toda na sala, esperando o Gui, que estava tomando sua 1º dose de vitamina K. Gabi fez um desenho para o irmão e depois ficou toda encantada....
- Como ele é lindo né, mãe? Comemos pizza (aí que fome que eu estava), bebemos vinho e depois fomos dormir... os quatro, juntinhos... em êxtase!!!

Pena que não deu tempo de tirar nenhuma foto e nem filmar, mas, com certeza ficará profundamente gravado em nossas almas! Foi uma experiência fantástica. Eu não saberia escolher entre o parto longo da Gabriela ou o parto a jato do Guilherme... os dois foram incríveis e diferentemente deliciosos. Porque, no final, ser respeitada, apoiada, acolhida, receber seus filhos num ambiente tranqüilo e harmonioso, no seu tempo e com todo amor, não tem preço! Só tenho a agradecer a todos que fizeram parte, direta ou indiretamente nesse processo:

Ao Alexandre, maridão, pai e companheiro e agora parteiro... sempre do meu lado, te amo, te amo, te amo!
A C, parteira e amiga, que mesmo nos conhecendo tão pouco, foi tão importante e teve um carinho tão especial por nós que teremos que agradecer sempre... que você venha a receber muitos outros bebês "em casa".
Ao Dr. JK, médico parteiro, por nos acompanhar e nos respeitar tão profundamente... estaremos sempre torcendo para que você continue fazendo a diferença na vida de tantas famílias.
A Dra. CC, querida, uma surpresa maravilhosa e tão delicada, adorei ter você aqui, nesse momento tão importante de nossas vidas... continue tá.
A AC, bruxinha querida, que desde o anuncio desta gravidez disse que seria unassisted... você quase acertou! Nosso muito obrigada por você simplesmente existir!
Aos meus filhos, Gabriela e Guilherme... vocês são TUDO! AMO MUITO
VOCÊS!!!

Observações:

QUE FALTA FAZ UMA DOULA! AC, você me paga! Tudo bem, você acertou que não daria tempo de você chegar. Então da próxima vez eu vou acampar na SUA casa e o bebê vai nascer na SUA banheira.

O Alexandre me disse depois que pensou diversas vezes em perguntar se eu queria ir para o hospital, mas não fez, porque, primeiro, podeira tomar um soco ou se por um acaso eu aceitasse, ele estava ferrado depois.

Na correria não deu tempo de esterilizar a tesoura na água, então a C passou na chama do fogão e não avisou o marido, que queimou a mão para cortar o cordão.

Tem uma foto super interessante, a C dando banho no Guilherme e o Dr. JK passando rápido atrás... só dá pra ver o "vulto" dele... sinistro ! Porque foi isso mesmo, ele esteve PRESENTE o tempo todo por telefone, dando apoio técnico e emocional, preocupado com todos: eu, papai, bebê e parteira. O Dr. JK é especial mesmo!!!

A C me deu uma "bronca" depois, porque eu não disse que estava sozinha em casa e porque ela não estava "psicologicamente" preparada pra assumir sozinha a assistência... mas eu acho que nada acontece por acaso... quem sabe daqui a alguns anos ela também possa escrever sobre os doze primeiros?

Gente, não sei como não me toquei antes que estava em TP com tanta coisa estranha acontecendo. Na verdade eu sabia que seria mais rápido, mas achava que seria pelo menos umas 8 horas.

Ter uma consultora de amamentação é TUDO. Mesmo sendo o segundo bebê e tendo amamentado a Gabi por quase 3 anos, cada bebê é único, e eu me arrependo de não ter tido essa ajuda quando tive a Gabi. Recomendo fortemente, obrigada de novo, C.

Ah... a Gabi voltou a mamar, afinal eu tinha prometido, né. O que mais me perguntaram foi o que eu fiquei fazendo das 18 às 19h, quando começaram as contrações e eu não tinha ligado ainda para ninguém... Ora bolas, eu estava arrumando a casa e lavando a mangueira que tinha comprado à tarde para encher a banheira, que eu tanto cismei que queria, nos 45' do segundo tempo... e que só vai ter sua estréia no próximo verão ou, talvez, em um próximo PD santista

Voltar para Lista de Relatos

 

 
Copyrights: GAMA - Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução das imagens ou do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita.
Quem Somos
Onde Estamos
Mapa do Site
Fale Conosco
GAMA - Grupo de Apoio à Maternidade Ativa - Rua Natingui, 380 - Vila Madalena - 05443-000 - São Paulo, SP
Telefones: clique aqui - E-mail: CLIQUE AQUI